Bolsonaro minimiza Dia da Consciência Negra: “Todos têm a mesma cor”

O presidente ignorou a morte de João Alberto, homem negro que foi espancado no Carrefour em Porto Alegre

O presidente da República, Jair Bolsonaro. Foto: Isac Nóbrega/PR

O presidente da República, Jair Bolsonaro. Foto: Isac Nóbrega/PR

Política

O presidente Jair Bolsonaro voltou a minimizar o racismo no Brasil. No Dia da Consciência Negra, desta sexta-feira 20, o presidente postou um texto em seu Twitter dizendo que não existe diferenças entre raças no Brasil.

 

 

“Como homem e como Presidente, sou daltônico: todos têm a mesma cor. Não existe uma cor de pele melhor do que as outras. Existem homens bons e homens maus”, afirmou Bolsonaro.

Na postagem, o presidente ignorou a morte de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, um homem negro morto por dois seguranças brancos em um supermercado do Carrefour, em Porto Alegre (RS).

Mais cedo, o vice-presidente, Hamilton Mourão, já havia dito: “para mim, não existe racismo no Brasil”. “Eu digo para você com toda tranquilidade: não tem racismo. Eu digo isso para vocês porque eu morei nos Estados Unidos. Racismo tem lá. Eu morei dois anos nos Estados Unidos. Na minha escola, que eu morei lá, o pessoal de cor, ele andava separado. Eu nunca tinha visto isso aqui no Brasil”, prosseguiu Mourão.

Tanto Bolsonaro quanto Mourão ignoram os números sobre racismo no Brasil. Segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2020, oito a cada dez pessoas mortas pela polícia em 2019 eram negras.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem