Bolsonaro e Lula são líderes em crescimento nas redes sociais

Monitoramento digital reflete as pesquisas de opinião pública em que o petista e o atual chefe do Executivo aparecem à frente dos demais

Fotos: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil e Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Fotos: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil e Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Política

Um levantamento da plataforma MonitoraBR, divulgado com exclusividade por CartaCapital, mostra que o presidente Jair Bolsonaro e o seu principal adversário nas eleições de 2022, o ex-presidente Lula, são os pré-candidatos que mais cresceram nas redes sociais no primeiro semestre deste ano.

De acordo com o monitoramento, feito de 1 de janeiro a 30 de junho, o atual chefe do Poder Executivo e o petista foram os que mais ganharam seguidores no Facebook, Twitter, Instagram e Youtube.

No estudo, que teve como objeto levantar dados e analisar a perfomance digital dos pré-candidatos, ainda aparecem os nomes de Ciro Gomes (PDT), o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), Luiz Henrique Mandetta (DEM), o ex-juiz Sérgio Moro, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), e do apresentador Luciano Huck, que decidiu continuar na TV Globo.

No período analisado, o único que perdeu seguidores no Facebook foi Doria. O tucano, eleito com o slogan BolsoDoria, entrou em rota de coalização com o presidente após apostar na Coranavac, vacina produzida pela chinesa Sinovac em conjunto com o Instituto Butantan. No Instagram, a mesma situação se passou com o ex-ministro da Saúde Mandetta.

 

Os números refletem um pouco o que constatam os institutos de pesquisa, pois são justamente Lula e Bolsonaro que lideram as intenções de voto para a próxima eleição. O levantamento também confirma a dificuldade de uma candidatura de terceira via.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Editor do site de CartaCapital. Twitter: Alisson_Matos

Compartilhar postagem