Bolsonaro é alvo do 2º pedido de impeachment em dois dias

Deputados do PSOL acusam presidente da República de cometer crimes de responsabilidade

A deputada Fernanda Melchionna (PSOL-RS) é uma das autoras do pedido de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro. Foto: PSOL

Apoie Siga-nos no

Os deputados federais Fernanda Melchionna (PSOL-RS), Sâmia Bomfim (PSOL-SP) e David Miranda (PSOL-RJ) apresentaram um pedido de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro nesta quarta-feira 18, na Câmara dos Deputados.

A representação sustenta que Bolsonaro cometeu crimes de responsabilidade ao convocar atos contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF) e ao desobedecer a recomendação de isolamento pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde, por conta do coronavírus.

Em nota, os parlamentares do PSOL afirmam que houve “grave conduta de Bolsonaro” ao se aproximar de manifestantes nos protestos de 15 de março e acusa o presidente de não promover ações efetivas para evitar as aglomerações.

O próximo passo do pedido de impeachment é a análise do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que deve deliberar ou não a abertura do processo.

É o 2º pedido de impeachment contra Bolsonaro na semana. O primeiro foi apresentado pelo deputado distrital Leandro Grass (Rede-DF), na terça-feira 17. O parlamentar também acusou o chefe do Palácio do Planalto de ter cometido crime de responsabilidade.

O Brasil já registrou o 2º panelaço contra Bolsonaro. Manifestantes em todo o país bateram panelas e pediram o impeachment do presidente da República, em meio a pandemia que já causou quatro mortes no país.


?feature=oembed" frameborder="0" allowfullscreen> src="https://i.ytimg.com/vi/6SASuLmquKk/hqdefault.jpg" layout="fill" object-fit="cover">

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também