Política

Bolsonaro defende Moro e diz que não vê maldade nas mensagens

‘Do outro lado, havia doleiros, empreiteiros, e poucos políticos que não têm qualquer compromisso com a honestidade’, afirmou o presidente

O presidente Jair Bolsonaro declarou que não vê maldade na troca de mensagens entre o então juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, e os procuradores da operação, entre eles Deltan Dallagnol. Também afirmou que o afastamento do atual ministro da Justiça e Segurança Pública não foi pensada em nenhum momento.

As afirmações foram feitas nesta sexta-feira 14 durante um café da manhã com jornalistas, em que o presidente também anunciou a demissão do presidente dos Correios por considerá-lo sindicalista.

Para defender Moro, o presidente declarou “do outro lado, havia doleiros, empreiteiros, e poucos políticos que não têm qualquer compromisso com a honestidade”.

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Moro também disse que não vai se afastar do cargo, que é vítima de um ataque criminoso de hackers e que vê viés político-partidário na divulgação das mensagens. Ele acusa o site The Intercept Brasil de não lidar com transparência diante o conteúdo, que vem sendo publicado em partes.

Para ele, não há ilicitude nas trocas de mensagens, mas um “sensacionalismo”. “Estou absolutamente tranquilo em relação à natureza das minhas comunicações”, declarou.

O ministro deve ir ao Senado no próximo dia 19 de junho prestar esclarecimentos sobre as mensagens divulgadas. “Sempre me pautei pela legalidade e estou me colocando à disposição para esclarecer no que eu posso.” Moro diz não se preocupar com a possibilidade de divulgação de novas mensagens. “Não tem nada ali, foi sensacionalismo barato.”

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!