Política

Bolsonaro cita problemas para resolver no PL antes das eleições de 2024

Ex-presidente citou apoio a reeleição do prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, como um dos “problemas”

O ex-presidente Jair Bolsonaro. Foto: Sergio Lima/AFP
Apoie Siga-nos no

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) admitiu existirem problemas no PL, que precisam ser sanadas antes das eleições municipais de 2024. 

A declaração foi feita durante a 4ª conferência do Cpac Brasil, evento anual que reúne representantes da direita no Brasil.

O ex-capitão afirmou que tem conversado com o presidente da legenda, Valdemar Costa Neto, para tentar resolver as pendências relacionadas as candidaturas nas principais cidades do País. 

Bolsonaro ainda citou o apoio a reeleição do prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), como um dos “problemas”.

“Faço um apelo para quem está nos assistindo, temos eleições municipais no ano que vem, estamos acertando o partido, aparecem alguns problemas. Conversei com nosso presidente na semana passada”, declarou o ex-presidente.

“Temos alguns outros problemas por aí, vão pintar alguns problemas em São Paulo, a gente vai resolver isso tudo”, concluiu.

Mesmo com o surgimento de escândalos envolvendo Bolsonaro, Nunes segue da defesa do bolsonarismo. No começo do ano, o prefeito de São Paulo foi aconselhado a não de aliar com o ex-capitão. A análise seria de que Bolsonaro poderia ser preso a qualquer momento e a proximidade entre os dois poderia prejudicar a reeleição. 

Entretanto, o ex-presidente tem ficado incomodado com as ações do prefeito paulistano nas últimas semanas.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo