Bolsonaro ameaça: ‘Se quer paz, se prepare para a guerra’

Presidente aumenta a retórica radicalizada de olho nas manifestações do 7 de Setembro

Foto: MAURO PIMENTEL / AFP

Foto: MAURO PIMENTEL / AFP

Política

A seis dias do 7 de Setembro, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, em cerimônia da Marinha, que “com flores não se ganha guerra”. Ele esteve nesta quarta-feira 1 na zona norte do Rio para uma homenagem a atletas militares que conquistaram medalha nas Olimpíadas de Tóquio. “Com flores não se ganha guerra. Se você fala de armamento… Se você quer paz, se prepare para a guerra”, disse o presidente após mandar o boxeador Hebert Conceição, medalhista de ouro, “enfiar a porrada”.

Bolsonaro vem aumentando a retórica radicalizada de olho nas manifestações da semana que vem. Ele disse que comparecerá aos atos de Brasília e São Paulo. Um dos principais motes da mobilização é o ataque ao Judiciário.

 

Cinco atletas foram agraciados nesta manhã, com a Medalha Mérito Desportivo Militar, criada em 2006. Estiveram no Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes, na zona norte da cidade, os medalhistas de ouro Ana Marcela, da maratona aquática e Hebert Conceição, do boxe, a de prata Beatriz Ferreira, do boxe, e os de bronze Daniel Cargnin, do judô, e Abner Ferreira, do boxe. Escolhido por Bolsonaro, Conceição recebeu ainda uma outra medalha das mãos do presidente.

No breve discurso proferido no Rio, o presidente evocou ainda a pandemia: vangloriou-se de nunca ter deixado de ir às ruas “para saber o que o povo sentia”. Apontou ainda a criação do auxílio emergencial, mas sem citar que o valor inicial sugerido pelo governo, de 200 reais, foi triplicado pelo Congresso.

Estiveram presentes no evento autoridades como os ministros Walter Braga Netto, da Defesa, Onyx Lorenzoni, do Trabalho e Previdência Social, João Roma, da Cidadania, e o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem