Bolsonaro abre mão de reunião com líderes sul-americanos sobre coronavírus

Argentina, Peru, Paraguai, Chile, Equador, Colômbia e Bolívia participaram de reunião remota com seus presidentes; Brasil, não

O presidente Jair Bolsonaro. Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro. Foto: Alan Santos/PR

Política,Saúde

Nesta segunda-feira 16, o presidente Jair Bolsonaro optou por não participar de uma videoconferência com chefes de Estado de outros países sul-americanos para debater os impactos do coronavírus na região. No seu lugar, participou o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

O encontro remoto contou com a participação dos presidentes de Argentina, Peru, Paraguai, Chile, Equador, Colômbia e Bolívia, membros do Fórum para o Progresso e Desenvolvimento da América do Sul (Prosul), e focou em discutir medidas conjuntas de combate à doença, que tem avançado pela região. O Brasil, aliás, é o país mais afetado entre os vizinhos, com 234 casos confirmados.

Entre os vizinhos, países como Argentina, Chile e Colômbia já anunciaram medidas mais extremas, como o fechamento das fronteiras por 15 dias. O Paraguai e a Bolívia, por sua vez, fizeram restrições parciais de seus limites territoriais. O Brasil, por ora, não cogita medidas deste tipo.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Post Tags
Compartilhar postagem