Blogueiros bolsonaristas pedem que presidente acabe com inquérito das fake news

Manifesto pede decreto para impedir que agentes públicos federais cumpram diligências ligadas à investigação

O blogueiro Allan dos Santos, do canal Terça Livre. Foto: Roque de Sá/Agência Senado

O blogueiro Allan dos Santos, do canal Terça Livre. Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Política

Blogueiros que apoiam o presidente Jair Bolsonaro assinaram um manifesto em que pedem que o Palácio do Planalto declare ilegalidade e dê fim ao inquérito aberto pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para apurar a disseminação de informações falsas na internet. No texto chamado “Manifesto pela Democracia”, publicado no site Brasil Sem Medo, pede-se ao chefe do Executivo o lançamento de um decreto que impeça que agentes da Polícia Federal cumpram diligências ligadas à investigação.

Entre os 29 assinantes do texto, está o blogueiro Allan dos Santos, dono do canal Terça Livre. Investigado pelo inquérito das fake news, ele foi um dos alvos de uma operação da Polícia Federal que cumpriu mandados de busca e apreensão em 16 de junho. Também assinam o manifesto integrantes de sites como Jornal da Cidade OnlineSenso IncomumComunicação & PolíticaEstudos NacionaisNova Era MídiaO VerboRádio Shockwave PHVox.

A publicação acusa o inquérito das fake news como “a peça mais macabra e totalitária já produzida na história do Poder Judiciário nacional”. Nas palavras dos blogueiros, a investigação é uma aberração jurídica que significa “um golpe de morte na democracia brasileira” e deve ser impedida.

“Se esse monstro não for contido a tempo, o exercício da liberdade de expressão se tornará o único crime passível de pena em nosso país. D. Pedro II, D. Leopoldina, José Bonifácio, Joaquim Nabuco, Sobral Pinto e Carlos Lacerda correm o risco de se tornar nomes impronunciáveis no país que tanto amaram”, escrevem.

Os blogueiros sustentam que a prisão da militante de extrema-direita Sara Giromini, conhecida como Sara Winter, pode justificar a perseguição de “pessoas mais comuns”. Sara encabeça um grupo que causou perplexidade ao usar símbolos supremacistas em um protesto em Brasília. Dias depois, houve simulação de bombardeio no prédio do Supremo com lançamento de fogos de artifício.

“Hoje a polícia do STF encarcerou Sara Winter; amanhã, vai fazer o mesmo com nossos pais, nossos irmãos, nossos filhos — sendo necessário para isso apenas um comentário crítico em rede social”, dizem os blogueiros.

Em pedido direto a Bolsonaro, a quem se declaram apoiadores, os blogueiros pedem um decreto que dê fim às apurações para “enterrar de uma vez por todas esse inquérito totalitário” e “punir exemplarmente os responsáveis por sua existência”.

“Por isso, nós fazemos um apelo ao chefe do Executivo e autoridade máxima da nação, Jair Messias Bolsonaro: que, por meio de um decreto presidencial, determine a todos os agentes públicos federais que se abstenham de realizar quaisquer diligências provenientes do Inquérito 4.781, evitando assim novas afrontas à Constituição Federal e aos direitos fundamentais dos cidadãos brasileiros. Pedimos que tal inquérito seja declarado ilegítimo e ilegal, por afrontar os princípios básicos da democracia”, dizem.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem