Após não divulgar teste, Bolsonaro diz que ‘talvez’ tenha sido contaminado pelo coronavírus

Justiça não aceitou o relatório apresentado pelo presidente e deu 48 horas para que os exames sejam entregues

Presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Foto: AFP.

Presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Foto: AFP.

Política

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quinta-feira 30, que “talvez” tenha sido contaminado pelo novo coronavírus. Depois de ter negado apresentar seus exames e insistir que seu resultado foi negativo, o capitão mudou a versão da história que até então vinha apresentando. “Eu talvez já tenha pegado esse vírus no passado, talvez, talvez, e nem senti”, assumiu o presidente em entrevista à Rádio Guaíba.

Essa afirmação ocorre em meio a uma disputa judicial para que o capitão revele seu exame comprovando que testou negativo para a Covid-19. A justiça não aceitou o relatório médico apresentado pela Advocacia-Geral da União, que mostrava resultados clínicos do presidente, e determinou um prazo de 48 horas para que os exames de Bolsonaro sejam apresentados. O prazo final termina no próximo domingo 03 e se não for cumprido haverá uma multa de R$ 5 mil por dia.

 

O pedido inicial foi feito pelo jornal o Estado de S. Paulo, que tentou por diversas vezes ter acesso aos resultados e foi negado pelo governo. “No atual momento de pandemia que assola não só Brasil, mas o mundo inteiro, os fundamentos da República não podem ser negligenciados, em especial quanto aos deveres de informação e transparência”, disse a juíza Ana Lúcia Petri Betto, da Justiça Federal, responsável pelo caso.

No começo de março, quando a pandemia estava começando no Brasil, Bolsonaro fez uma viagem para os EUA e na volta 28 pessoas de sua comitiva testaram positivo para o coronavírus. O presidente chegou a fazer três testes e garantiu que todos deram negativos.

A desconfiança sobre o verdadeiro resultado se deu porque desde que fez o primeiro teste, o capitão se recusa a mostrar seu resultado, como fez a maioria dos políticos que foram infectados. Após o primeiro teste, Bolsonaro chegou a participar de uma manifestação em prol do seu governo no qual ele apertou a mão de apoiadores.

E na entrevista à Rádio Guaíba o presidente voltou a dizer que tem o direito de não mostrar o resultado de seus exames e que “não cabe à Justiça se intrometer nessas questões”. “Agora, não tenho problema, se no final da linha a Justiça decidir, eu vou apresentar”, completou. Bolsonaro também voltou a dizer que fez exames com nome fantasia, mas que são “perfeitamente identificados”.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem