Ainda magoado, Bolsonaro relembra apoio a Moro durante Vaza Jato

Na sexta-feira 24, o então ministro da Justiça anunciou sua saída do governo após presidente confirmar a demissão de diretor da PF

Foto: Marcos Corrêa/PR

Foto: Marcos Corrêa/PR

Política

Jair Bolsonaro ainda parece estar muito magoado com a saída de seu ex-ministro Sergio Moro do governo. Tanto que, na manhã deste sábado 25, o presidente replicou em suas redes sociais uma mensagem lembrando a defesa feita por ele na época em que Moro era personagem das reportagens da “Vaza Jato”, série de vazamentos publicados pelo site The Intercept Brasil, que revelou mensagens trocadas entre o então juiz e os procuradores da Operação Lava Jato.

Na sexta-feira 24, o então ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, anunciou sua saída do governo após Bolsonaro confirmar a demissão do diretor da Polícia Federal, Maurício Valeixo, considerado braço-direito de Moro. A reação foi imediata, inclusive na classe política, o que gerou um pronunciamento de Bolsonaro para “reestabelecer a verdade” – confuso, o discurso também virou meme na internet.

À noite, Moro rebateu parte das acusações de Bolsonaro e revelou, ao Jornal Nacional, prints de conversas que comprovavam seu discurso de horas antes. Agora, Bolsonaro volta a responder Moro indiretamente, sugerindo lealdade a ele em momentos difíceis. No post publicado em suas redes sociais nesta manhã de sábado, o presidente replica um texto que lembra o apoio a Moro e traz uma foto dos dois juntos durante o desfile de 7 de setembro de 2019.

Diz o texto da publicação: “A Vaza Jato começou em junho de 2019. Foram vazamentos sistemáticos de conversas de Sérgio Moro com membros do MPF. Buscavam anular processos e acabar com a reputação do ex-juiz. Em julho, PT e PDT pediram prisão dele. Em setembro, cobravam o STF. Bolsonaro no dia 7 fez isso”.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem