Política

75% acham que a vida melhorará em 2024, aponta pesquisa da Febraban

O relatório também capta, porém, a preocupação com o aumento dos preços

O presidente Lula e o ministro da Fazenda, Fernando Haddad. Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

Um relatório divulgado nesta quinta-feira 29 pela Federação Brasileira de Bancos apontou que 50% dos brasileiros aprovam a gestão do presidente Lula (PT), resultado que indica estabilidade no índice em relação ao último levantamento, divulgado em dezembro de 2023. Segundo a pesquisa, três em cada quatro brasileiros demonstram otimismo para os próximos 12 meses.

De acordo com o Radar Febraban, 50% é o menor índice atingido por Lula desde fevereiro do ano passado, quando o presidente marcou 51%. O resultado mais favorável foi observado em setembro de 2023, quando o petista tinha 55% de aprovação.

Já o índice de desaprovação ficou em 42%, que se mantém desde dezembro de 2023 como o maior de sua gestão. O menor índice foi visto em fevereiro de 2023, quando Lula atingiu 36% de reprovação. Segundo a pesquisa, 8% não sabem ou não responderam.

O levantamento mostra que 75% dos brasileiros acreditam que sua vida estará melhor em um horizonte de 12 meses. O percentual é o maior desta gestão, 1 ponto superior ao de dezembro. O menor índice foi de 70%, em abril e em junho do ano passado.

O otimismo chega a 83% no Nordeste, 81% entre quem tem de 25 a 44 anos e 80% entre mulheres.

Segundo a pesquisa, a expectativa negativa com relação à vida pessoal e familiar em 2024 chegou ao menor índice, de 8%, frente aos 10% observados entre dezembro de 2022 e abril de 2023.

Apesar dos números positivos, o estudo aponta uma série de índices desfavoráveis ao presidente.

De acordo com o levantamento, 67% dos brasileiros avaliam que os preços dos produtos aumentaram ou aumentaram muito. O índice é 13% maior que em dezembro de 2023.

Desses, 72% acham que os alimentos e os produtos domésticos pesaram mais na alta dos preços, enquanto 30% apontam o preço dos combustíveis e 30%, o pagamento de serviços de saúde e de remédios.

Para 57%, o Brasil vai melhorar em 2024, 2 pontos a menos que em dezembro de 2023. Ao mesmo tempo, 20% estão pessimistas em relação ao Brasil, 3 pontos a mais que na última pesquisa, enquanto 20% acham que o Brasil vai ficar igual, 1 ponto a menos.

O relatório também indica que 43% acham que a vida está melhor em relação ao ano passado, 3 pontos a menos que em dezembro, e 48% acham que o Brasil está melhor em 2024, 1 ponto a menos.

Segundo a Febraban, foram ouvidos 2 mil entrevistados com mais de 18 anos, em todas as cinco regiões do País, com cotas de sexo, idade e localidade, e controle de instrução e renda. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos, com um intervalo de confiança de 95,5%.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo