Venezuela anuncia segunda onda de Covid-19 com variante do Brasil

Presidente Nicolás Maduro vai anunciar medidas para conter a expansão da pandemia no país

Nicolás Maduro era principal alvo de incursão paramilitar na Venezuela. Foto: AFP PHOTO/VENEZUELA'S PRESIDENCY/MARCELO GARCIA

Nicolás Maduro era principal alvo de incursão paramilitar na Venezuela. Foto: AFP PHOTO/VENEZUELA'S PRESIDENCY/MARCELO GARCIA

Mundo

O governo da Venezuela anunciou nesta sexta-feira 19 que o país vive a segunda onda de Covid-19, mais contagiosa do que a registrada em 2020, em consequência de uma variante do novo coronavírus que surgiu no Brasil.

 

 

“Teve início na Venezuela uma segunda onda, muito mais contagiosa do que a registrada em agosto e setembro de 2020”, afirmou a vice-presidente Delcy Rodríguez em pronunciamento na TV. Segundo ela, o aumento dos contágios “se dá a partir do registo da variante brasileira na Venezuela”, no último dia 4.

Delcy informou que o presidente Nicolás Maduro deve anunciar medidas para conter a expansão do coronavírus no país, afetado pela pior crise de sua história recente e alvo de sanções dos Estados Unidos.

O governo venezuelano dá conta de um total de 149.145 infectados e 1.475 mortos no país, de 30 milhões de habitantes, cifras questionadas pela oposição e por ONGs.

A vice-presidente assinalou que, em cidades como Caracas, que concentra a maioria dos novos casos, foi observado um relaxamento das medidas, o que inclui a “celebração irresponsável” de festas.

O país iniciou no mês passado sua campanha de vacinação, com o imunizante russo Sputnik V. Este mês, começou a aplicar também a vacina da farmacêutica chinesa Sinopharm. Juntamente com a oposição, foi acertada a liberação de 30 milhões de dólares para ter acesso às primeiras vacinas do mecanismo Covax.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem