Trump restaura tarifas sobre aço e alumínio de Brasil e Argentina

O presidente americano anunciou medida retaliativa a uma 'massiva' desvalorização da moeda dos dois países latinos

Donald Trump e Jair Bolsonaro. Foto: Alan Santos/PR

Donald Trump e Jair Bolsonaro. Foto: Alan Santos/PR

Mundo

O presidente norte-americano Donald Trump anunciou, nesta segunda-feira 02, que irá taxar o Brasil e a Argentina na importação de aço e alumínio novamente. Segundo ele, a ação é necessária porque os produtores americanos estariam sendo prejudicados com os preços mais baixos da commoditie latina e os países estariam se beneficiando da alta do dólar.

Na publicação, Trump diz que os dois países estão “massivamente” desvalorizando as respectivas moedas – o que torna o preço de importação dos produtos brasileiros e argentinos mais baratos do que os provenientes dos Estados Unidos.

“A Reserva Federal deve agir da mesma forma para que os países, que são muitos, não tirem vantagem de nosso dólar alto ao desvalorizarem a moeda”, escreveu Trump nas redes sociais. “Isso dificulta muito aos nossos manufatureiros e fazendeiros exportarem seus bens de maneira justa”, acrescenta.

A tarifa sob o aço e alumínio foi aliviada para Brasil e Argentina em agosto de 2018, em um acordo que criou cotas específicas de importação sem uma tarifa adicional caso as empresas comprovassem falta de matéria-prima nos EUA.

O dólar bateu índices recordes nas últimas semanas, mas o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o valor significava um bom sinal para a retomada de negócios.

“Eu não estou preocupado com a alta do dólar. Pelo contrário. Achei absolutamente compreensível. O juro baixou, está em 5%. Quando tem política fiscal mais forte e juro mais baixo, o câmbio de equilíbrio é mais alto. O Brasil é agora um país interessante, com juros bastante baixo. Os investimentos vão começar e vai retomar o crescimento”, justificou o ministro.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem