Trump ataca China e OMS em discurso na Assembleia Geral da ONU

Presidente dos EUA voltou a se referir ao coronavírus como 'vírus chinês'

NA ONU, TRUMP ATACA CHINA E OMS. FOTO: REPRODUÇÃO

NA ONU, TRUMP ATACA CHINA E OMS. FOTO: REPRODUÇÃO

Mundo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, atacou a China ao abordar a pandemia da Covid-19 em seu discurso na  75ª Assembleia Geral das Nações Unidas nesta terça-feira 22. Ele voltou a se referir ao coronavírus como “vírus chinês”.

“Nos primeiros dias do vírus, a China se fechou para viagens domésticas, mas permitiu que as pessoas saíssem da China e infectassem o mundo”, disparou Trump, que discursou logo após o presidente Jair Bolsonaro. Em seguida, ele pediu que a ONU responsabilize os chineses.

“O governo chinês e a Organização Mundial da Saúde, controlada pela China, falsamente declararam que não havia evidência de transmissão [do coronavírus] entre humanos. Depois, afirmaram falsamente que as pessoas assintomáticas não poderiam espalhar a doença. A ONU precisa responsabilizar a China pelas suas ações”, prosseguiu.

Trump ainda elencou as ações que, na opinião dele, deveriam ser prioridade das Nações Unidas: “Se a ONU quiser ser uma organização eficiente, precisa focar nos problemas reais do mundo. Isso inclui terrorismo, opressão de mulheres, trabalho forçado, tráfico de drogas e de pessoas, perseguição religiosa e limpeza étnica de minorias”, afirmou.

O norte-americano também exaltou os acordos intermediados pelos EUA entre Israel, Emirados Árabes e Bahrein, e voltou a dizer que está “junto” à população de Cuba, Nicarágua e Venezuela.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Post Tags
Compartilhar postagem