Mundo

Senadores dos EUA chegam a acordo sobre projeto de lei bipartidário de controle de armas

O pacote de reformas ainda é limitado, mas considerado um avanço por ser o primeiro controle federal significativo às armas de fogo em uma geração

Armas registradas nos EUA. 

Foto: Robyn Beck / AFP (2017)
Armas registradas nos EUA. Foto: Robyn Beck / AFP (2017)
Apoie Siga-nos no

Os senadores dos Estados Unidos revelaram nesta terça-feira (21) um projeto de lei em resposta à epidemia de violência armada que assola o país. Eles chegaram a um pacote de reformas limitado que, no entanto, é considerado o primeiro controle federal significativo às armas de fogo em uma geração.

O grupo bipartidário que vinha trabalhando há semanas na redação do projeto está confiante de que terá apoio suficiente tanto entre democratas quanto republicanos para chegar à mesa do presidente Joe Biden já na próxima semana.

“Esta legislação bipartidária de segurança de armas é um avanço e salvará vidas. Embora não seja tudo o que queremos, essa legislação é urgentemente necessária”, disse o líder democrata do Senado, Chuck Schumer, em um comunicado.

Os legisladores trabalhavam contra o relógio, cientes de que um atraso colocaria em risco o senso de urgência impulsionado pelo tiroteio de Uvalde, Texas, com 19 crianças assassinadas, e o de Buffalo, Nova York, com 10 pessoas negras mortas em um supermercado, ambos em maio.

A última legislação federal americana relevante de controle de armas foi aprovada em 1994, proibindo a fabricação para uso civil de rifles de assalto e pentes de munição de grande capacidade.

Mas a norma expirou uma década depois e não houve nenhum real esforço de reforma desde então, apesar do crescimento da média diária de tiroteios em massa, que chega a 11 este ano, de acordo com o Gun Violence Archive.

O grupo bipartidário de senadores concordou, em 12 de junho, com uma estrutura que inclui maiores verificações de antecedentes para compradores com menos de 21 anos e o financiamento de programas de saúde mental e segurança escolar.

O plano também prevê fundos para incentivar os estados a implementar leis de “bandeira vermelha”, que visam retirar armas de fogo de pessoas consideradas uma ameaça.

 

AFP

AFP
Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.