Mundo

Policiais protestam nas ruas por melhores salários na Argentina

manifestantes foram denunciados por ‘sedição e incitação à violência’

Foto: Natalia Guerrero/AFP
Apoie Siga-nos no

Policiais ativos e aposentados da província de Misiones, no nordeste da Argentina, protestaram no sábado por melhores salários no segundo dia de uma mobilização que acionou o comitê de crise do governo do presidente Javier Milei.

Pelo menos mil pessoas participaram da manifestação que começou na manhã de sexta-feira no centro de Posadas, capital de Misiones, a cerca de 1.000 quilômetros de Buenos Aires, confirmou a AFP.

Após um reunião com o comitê de crise, o ministro de Governo de Misiones, Marcelo Pérez, informou que manifestantes foram denunciados por “sedição e incitação à violência”, entre outros crimes, e que um juiz ordenou “a dispersão” do local da concentração.

Também disse nas redes sociais que houve “três aumentos salariais em cinco meses que superam a taxa de inflação”.

Professores de escolas públicas aderiram à mobilização.

A inflação na Argentina registrou o quarto mês consecutivo de desaceleração em abril, atingindo 8,8% mensais, a primeira taxa de um dígito em um semestre, embora permaneça alta no índice interanual, em 289,4%.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo