Mundo

Polícia prende quase 40 extremistas de direita em Paris

Os ‘ativistas’ estavam foram detidos por ‘participação em um agrupamento com o propósito de cometer violências e degradações’

Foto: AFP
Apoie Siga-nos no

A polícia da França deteve, neste sábado 10, 39 pessoas ligadas aos círculos de extrema-direita por “participação em um agrupamento com o propósito de cometer violências e degradações”, informou à agência AFP uma fonte familiarizada com o caso.

Os ativistas foram detidos no meio da tarde após prestar homenagem no cemitério parisiense de Charonne ao escritor Robert Brasillach, fuzilado em 1945 após a libertação da França por sua colaboração com a Alemanha nazista.

Entre os detidos estão vários líderes conhecidos de grupos de extrema-direita. Cerca de vinte deles já estavam fichados por suas atividades e alguns estavam proibidos de entrar em Paris.

Antes da operação, eles foram avistados perto de uma manifestação sindical contra a extrema-direita.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo