Mundo

Pacote bilionário de ajuda à Ucrânia sobrevive a votação crucial no Senado dos EUA

A oposição dos republicanos mais conservadores, porém, pode impedir que o auxílio se torne lei

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky. Foto: Anatolii Stepanov/AFP
Apoie Siga-nos no

Um amplo pacote de ajuda externa, que inclui 60 bilhões de dólares (298 bilhões de reais) para a Ucrânia, sobreviveu, neste domingo 11, a uma votação de procedimento crucial no Senado dos Estados Unidos, embora a oposição dos republicanos mais conservadores possa impedir que se torne lei.

O Senado, com uma pequena maioria democrata, teve 67 votos a favor e 27 contra pelo desbloqueio do projeto de lei, cuja aprovação final é esperada para o meio da semana.

O pacote de 95 bilhões de dólares (472,2 bilhões de reais) inclui financiamento para a luta de Israel contra os militantes do Hamas, e para Taiwan, um aliado estratégico dos EUA. No entanto, a maior parte seria destinada à Ucrânia, para o reabastecimento de munições, armas e outras necessidades cruciais em seu terceiro ano de guerra contra a Rússia.

A ajuda parecia fadada ao fracasso depois que os republicanos rejeitaram na quarta-feira uma versão anterior que também incluía muitas das medidas de segurança na fronteira com o México que eles haviam exigido durante meses.

Sob pressão do ex-presidente Donald Trump, que quer retornar à Casa Branca e aproveitar a percepção de fraqueza de Joe Biden em questões de imigração, os republicanos parecem ter decidido que preferem interromper qualquer reforma na fronteira até depois das eleições de novembro.

Mas os senadores republicanos cederam em uma votação dramática na quinta-feira depois que os democratas, que têm uma pequena maioria no Senado, desvincularam completamente a ajuda da questão da fronteira.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.