Mundo

Onze reféns do Hamas estão a caminho de Israel, diz Exército

Trata-se do quarto grupo de reféns libertado desde a sexta-feira, como parte de um acordo de trégua que seria encerrado na terça-feira, mas que será estendido por mais dois dias

Libertos durante primeiro cessar-fogo entre Israel e Hamas — Foto: AFP
Apoie Siga-nos no

Onze reféns israelenses sequestrados em 7 de outubro, durante o ataque do grupo islamista palestino Hamas, se dirigiam a Israel na noite desta segunda-feira 27, informou o exército israelense em um comunicado, citando informação do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV).

“Onze reféns se encontram atualmente a caminho do território israelense”, acrescentou o exército.

Trata-se do quarto grupo de reféns libertado desde a sexta-feira, como parte de um acordo de trégua que seria encerrado na terça-feira, mas que será estendido por mais dois dias, segundo o Hamas e o Catar, que atua como mediador.

Segundo o Catar, cidadãos de França, Alemanha e Argentina com dupla nacionalidade israelense estão entre os 11 reféns libertados pelo Hamas em troca de 33 palestinos detidos em prisões israelenses.

“No quarto dia do acordo de trégua humanitária, 33 civis palestinos serão libertados hoje [segunda-feira] em troca da libertação de 11 presos israelenses em Gaza”, informou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Catar, Majed Al Ansari, na plataforma X, antigo Twitter.

“Os libertados das prisões israelenses incluem 30 menores e três mulheres, enquanto os israelenses libertados de Gaza incluem três cidadãos franceses, dois alemães e seis argentinos”, acrescentou.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.