Mundo

Milei vai dispensar 7 mil funcionários públicos da Argentina

Governo estuda ainda um congelamento salarial e a redução de 15% na remuneração para altos funcionários públicos

O presidente eleito da Argentina, Javier Milei. Foto: Luis Robayo/AFP
Apoie Siga-nos no

O governo de Javier Milei anunciou nesta terça-feira 26 que vai demitir os servidores públicos da Argentina contratados em 2023. A medida deve afetar mais de 7 mil pessoas.

O decreto impede a renovação de contratos de trabalhadores empregados há menos de um ano no Executivo e em organizações do Estado, além de empresas públicas e corporações de maioria estatal, como a petroleira YPF.

Com a medida, o governo vai cancelar os contratos que expiram em 31 de dezembro. As informações são do jornal argentino Clarín.

Governo estuda ainda um congelamento salarial e a redução de 15% na remuneração para altos funcionários públicos.

Esta medida de Milei vem na esteira da série de modificações e revogações em um Decreto de Necessidade e Urgência anunciadas na última semana.

Entre outras medidas, ele confirmou as revogações da lei de aluguéis, do observatório de preços do Ministério da Economia e dos regulamentos que impedem a privatização de empresas públicas. Agora, as medidas estão sendo questionadas na Justiça.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo