Impeachment de Trump: embaixador relata pressão orientada pelo presidente

'Estávamos seguindo ordens do presidente', diz embaixador dos EUA na União Europeia sobre ordens de Trump para investigar rival

Donald Trump (Foto: Andrew Caballero-Reynolds/AFP)

Donald Trump (Foto: Andrew Caballero-Reynolds/AFP)

Mundo

O embaixador dos Estados Unidos na União Europeia, Gordon Sondland, disse nesta quarta-feira 20 em uma audiência no Congresso que o presidente condicionou uma reunião com Volodymyr ZelenskY, presidente ucraniano, a uma investigação sobre o rival democrata Joe Biden.

“Estávamos seguindo as ordens do presidente”, declarou o diplomata em comunicado lido antes de um interrogatório no Congresso, que faz parte da investigação em vista de um eventual processo de impeachment de Trump na Câmara de Representantes.

A barganha seria uma troca de favores em relação a uma ajuda militar que os Estados Unidos enviariam à Ucrânia.

O depoimento de Sondland era um dos mais esperados no processo de impeachment aberto contra Trump na Câmara de Representantes. Esse passo permite aos congressistas interrogar publicamente as testemunhas convocadas.

Um membro da inteligência norte-americana foi o responsável por apontar indícios de que Trump agiu com o presidente ucraniano para movimentar investigações contra o filho de Joe Biden.

*Com AFP

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem