Mundo

Homem é multado na Rússia por pintar o cabelo com as cores da Ucrânia

Stanislav Netessov foi considerado culpado de ‘desacreditar’ o Exército russo

A bandeira da Ucrânia em Kiev. Foto: Genya Savilov/AFP via Getty Images
Apoie Siga-nos no

Um tribunal multou um moscovita por pintar os cabelos de amarelo a azul, as cores da Ucrânia, em um novo exemplo da repressão de qualquer dissidência na Rússia, informou a imprensa russa nesta segunda-feira 20.

Segundo o Mediazona, especializado em assuntos judiciais relacionados à repressão, Stanislav Netessov foi a uma delegacia no fim de abril após ter sido agredido em um ponto de ônibus em Moscou por um desconhecido que roubou seu celular.

Os policiais, no entanto, se deram conta da cor de seus cabelos e iniciaram uma investigação administrativa contra ele.

No início de maio, foi considerado culpado de ter “desacreditado” o Exército russo e condenado a uma multa de 50.000 rublos (2.808 reais na cotação atual), segundo o Mediazona.

Em uma entrevista à ONG OVD-Info, Netessov assegurou que não apoiava a Ucrânia nem a ofensiva russa, e que a cor de seus cabelos era “um acidente”.

Qualquer crítica pública ao ataque à Ucrânia pode levar a multas ou a penas de prisão.

Há dois anos, milhares de russos vem sendo condenados por “desacreditar” o Exército russo.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo