Mundo

Funeral de Navalny acontecerá na sexta-feira em Moscou

Ainda não está claro se a cerimônia será aberta ao público

Foto: Daniel MIHAILESCU / AFP
Apoie Siga-nos no

O funeral do opositor russo Alexei Navalny, que morreu em 16 de fevereiro na prisão, acontecerá na sexta-feira às 14H00 (8H00 de Brasília) em Moscou, anunciou a equipe do ativista nas redes sociais.

“O funeral de Alexei Navalny será celebrado em uma igreja (…) em Maryino, no dia 1º de março, às 14H00. O sepultamento acontecerá no cemitério Borisovski”, em Moscou, informou sua equipe no Telegram.

Navalny morreu aos 47 anos em uma prisão do Ártico onde cumpria uma pena de 19 anos. A morte ocorreu a um mês da eleição que garantirá um novo mandato a Vladimir Putin.

Desde então, o presidente russo vem sendo acusado, por diferentes nações, ter causado a morte do seu principal opositor. O Kremlin, no entanto, nega as acusações e alega não ter qualquer envolvimento com o fato.

Navalny, apontam as perícias até aqui, morreu de causas naturais. A suspeita, de opositores de Putin, é de que ele tenha sido envenenado, fato esse não comprovado pelo laudo revelado até aqui. O corpo de Navalny, aliás, foi periciado por vários dias, fato que levou familiares acusarem o governo russo de reter o advogado para encobrir os sinais do suposto assassinato. No dia 24, último sábado, o corpo foi finalmente entregue à família.

Ainda não está claro se o funeral e sepultamento de Navalny serão abertos ao público. Um funeral público poderia, em tese, mobilizar os partidários do ativista, o que seria inconveniente para o regime de Putin. O fato, no entanto, estaria longe de ameaçar o resultado eleitoral que se aproxima.

(Com informações de AFP)

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo