Ex-presidente Evo Morales formaliza candidatura ao Senado da Bolívia

Morales, que renunciou à presidência e está refugiado na Argentina, encabeça a lista de oito candidatos ao Senado

Ex-presidente da Bolívia, Evo Morales. Foto: HO / Bolivian Presidency / AFP

Ex-presidente da Bolívia, Evo Morales. Foto: HO / Bolivian Presidency / AFP

Mundo

O ex-presidente boliviano Evo Morales formalizou sua candidatura ao Senado nesta segunda-feira 03 nas novas eleições gerais de 3 de maio, informou o Supremo Tribunal Eleitoral (TSE) do país.

Morales, que renunciou à presidência em 10 de novembro e está refugiado na Argentina, encabeça a lista de oito candidatos ao Senado (quatro titulares e quatro suplentes) para a região sul de Cochabamba na lista de seu partido Movimento ao Socialismo (MAS) , de acordo com a relação oficial publicada no site do TSE.

O ex-governador, 60 anos, não pode concorrer à presidência nessas eleições, por disposição legal.

Diante desse impedimento, o MAS formalizou a candidatura presidencial do ex-Ministro da Economia Luis Arce para as novas eleições, convocada após a renúncia de Morales e a anulação do pleito em 20 de outubro em meio a alegações de fraude.

Oito candidatos disputarão a presidência da Bolívia nessas eleições, incluindo Arce, bem como a presidente interina, Jeanine Áñez, e outros rivais do ex-presidente.

Arce lidera as intenções de voto, com 26%, de acordo com uma pesquisa divulgada na semana passada.

Nas eleições, serão escolhidos o presidente, vice-presidente, 36 senadores e 120 deputados.

Morales renunciou no meio de uma onda de protestos contra ele e pressão de chefes militares e policiais.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem