Mundo

Ex-dirigente de empresa petrolífera do Azerbaijão presidirá COP29 em Baku

A conferência climática da ONU se tornou um dos maiores compromissos diplomáticos anuais do mundo, depois da Assembleia Geral da ONU

Créditos: UN CLIMATE CHANGE / AFP
Apoie Siga-nos no

O Azerbaijão nomeou seu ministro da Ecologia e Recursos Naturais, Mukhtar Babayev, ex-chefe da empresa petrolífera Socar, como presidente da 29ª conferência sobre a mudança climática da ONU, que será realizada em novembro, em Baku.

“Sua Excelência Mukhtar Babayev foi nomeado presidente designado” da COP29, disse Rashad Allahverdiyev, funcionário do ministério, à AFP por e-mail nesta sexta-feira 5.

Será o segundo ano consecutivo que a conferência climática mais importante do ano será presidida por um homem com responsabilidades importantes na companhia petrolífera nacional do seu país, após a realização da COP28 em Dubai, em dezembro.

Entre 1994 e 2003, Babayev trabalhou no Departamento de Relações Econômicas Exteriores da Socar (State Oil Company of Azerbaijan Republic), a companhia de petróleo e gás do Azerbaijão, antes de mudar para o Departamento de Marketing e Operações Econômicas.

De 2007 a 2010, foi vice-presidente de Ecologia da empresa.

Ele assumiu o cargo de ministro da Ecologia e Recursos Naturais de seu país em 2018.

No ano passado, os Emirados Árabes Unidos, anfitriões da COP28, elegeram Sultan Al Jaber, diretor da empresa de petróleo nacional Adnoc, para presidir a conferência da ONU, em Dubai. A cúpula terminou com um apelo histórico à “transição” das energias fósseis.

Um importante compromisso diplomático

A conferência climática da ONU se tornou um dos maiores compromissos diplomáticos anuais do mundo, depois da Assembleia Geral da ONU.

Mais de 80.000 representantes oficiais participaram do último encontro em dezembro, em Dubai, um recorde.

A presidência da COP assume oficialmente no dia do início do evento, ou seja, daqui a cerca de onze meses. Mas as complexas negociações climáticas, que envolvem quase 200 países, exigem uma elevada coordenação entre a presidência da última edição e os anfitriões da seguinte.

Após o evento em Baku, o Brasil presidirá a COP30, que será realizada na cidade de Belém no final de 2025.

“Trabalharemos com as presidências da COP29 e COP30, bem como com a ONU Clima, para concretizar o sucesso histórico e transformador da COP28 e manter o objetivo de 1,5ºC ao alcance”, escreveu a presidência da COP28 na rede social X.

O objetivo oficial da comunidade internacional é tentar que a temperatura média do planeta não aumente mais do que 1,5ºC até meados do século.

O governo do Azerbaijão designou o vice-ministro das Relações Exteriores, Yalchin Rafiyev, como negociador-chefe da COP29.

As conferências climáticas da ONU são organizadas a cada ano em um país diferente, e os anfitriões são eleitos por consenso pelos países da região.

Em 2023, as nações asiáticas designaram os Emirados Árabes Unidos, e este ano, após meses de bloqueio, o Azerbaijão foi eleito pelos países do Leste Europeu, incluindo a Rússia.

Uma das capitais mundiais do petróleo no início do século XX, Baku desenvolveu grandes campos de petróleo e gás no Mar Cáspio a partir da década de 1990. Atualmente, o gás é mais importante do que o petróleo para o país, membro da OPEP+, exportado principalmente para a Europa.

O país continua muito dependente dos hidrocarbonetos, que representam pouco menos de 50% do seu PIB, pouco mais de 50% das suas receitas orçamentárias e pouco mais de 90% das suas receitas de exportação”, diz Francis Perrin, especialista em energia do Instituto de Relações Internacionais e Estratégicas.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo