Mundo

Espanha anuncia retirada da embaixadora da Argentina após ofensas de Milei

Presidente argentino chamou esposa de Pedro Sánchez de corrupta e abriu grave crise diplomática entre os dois países; ultradireitista se nega a pedir desculpas

Foto: OSCAR DEL POZO / AFP
Apoie Siga-nos no

O governo da Espanha anunciou que retirou a sua embaixadora da Argentina. A decisão acontece após o presidente do país sul-americano, Javier Milei, abrir uma crise diplomática com os espanhóis ao atacar pessoalmente a esposa do primeiro-ministro Pedro Sánchez, Begoña Gómez.

O anúncio foi feito nesta terça-feira 21 pelo ministro das Relações Exteriores da Espanha, José Manuel Albares.

María Jesús Alonso Jiménez, embaixadora que foi chamada no último domingo 19 para consultas, deverá permanecer “definitivamente em Madri”, segundo o ministro. “A Argentina continuará sem um embaixador”, concluiu.

Logo após o anúncio, o presidente argentino se pronunciou sobre ocaso. Em entrevista ao canal argentino LN+, o presidente considerou a decisão um “disparate típico de um socialista arrogante”. Ele negou que pretenda retirar o embaixador argentino da Espanha.

Milei estava na Espanha desde o último final de semana. Ao participar de um encontro de lideranças da extrema-direita – incluindo membros do partido Vox e políticos como Viktor Orbán (Hungria) e Giorgia Meloni (Itália) -, Milei chamou Begoña Gómez de “corrupta”.

Em seguida, Madri convocou o embaixador argentino na capital europeia, Roberto S. Bosch, para exigir um pedido de desculpas. 

O tensionamento se elevou a ponto de Milei se recusar a pedir desculpas, usando as redes sociais para ironizar a situação. Antes de voltar a Buenos Aires, o próprio Milei anunciou a sua volta dizendo que estaria voltando “o leão, surfando em uma onda de lágrimas socialistas”. 

Sem apresentar provas, Milei disse à imprensa argentina que a “situação é promovida pelo kirchnerismo, está coordenada com o kirchnerismo”, em alusão ao movimento peronista que tem como líder a ex-presidente Cristina Kirchner. Sem provas, Milei ainda disse que o ex-presidente Alberto Fernández, seu antecessor na Casa Rosada, seria assessor do primeiro-ministro espanhol.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo