‘É provável que avião tenha sido abatido por míssil do Irã’, diz Pompeo

'Vamos deixar a investigação acontecer antes de tomarmos uma decisão final', completou o secretário de Estado dos EUA

Secretário de estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo - Foto: Nicholas Kamm/AFP

Secretário de estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo - Foto: Nicholas Kamm/AFP

Mundo

O secretário de Estado Mike Pompeo disse nesta sexta-feira 10 que os Estados Unidos acreditam que “é provável” que um míssil iraniano tenha derrubado o avião ucraniano que caiu perto de Teerã, matando todas as 176 pessoas a bordo, na quarta-feira 8.

“Acreditamos que é provável que o avião tenha sido abatido por um míssil iraniano. Vamos deixar a investigação acontecer antes de tomarmos uma decisão final”, disse o dirigente americano, em coletiva de imprensa.

As declarações de Pompeo ocorreram quando o Irã enfrenta crescente pressão internacional para permitir uma investigação transparente do acidente do Boeing 737, que vários governos ocidentais atribuíram ao ataque acidental de mísseis.

Soleimani planejava ataques, diz Pompeo

O general iraniano Qassem Soleimani, morto em um ataque americano com drone no Iraque na semana passada, planejava ataques contra embaixadas dos Estados Unidos, disse nesta sexta-feira 10 o secretário de Estado americano, Mike Pompeo.

Soleimani previa ataques “iminentes” contra “infraestruturas americanas, incluindo embaixadas, bases militares e instalações em toda a região”, disse ele em entrevista coletiva. “Tínhamos informações precisas sobre uma ameaça iminente”, disse o secretário de Estado.

“Não sabemos exatamente em que dia teriam acontecido, mas estava muito claro que Qassem Soleimani estava pessoalmente preparando ataques em larga escala contra os interesses dos Estados Unidos e esses ataques eram iminentes”, disse a repórteres depois de detalhar as novas sanções econômicas contra o Irã.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Post Tags
Compartilhar postagem