Cúpula do G7 é aberta com tensões e Amazônia na pauta

Do lado de fora do palácio onde acontece a reunião internacional, militantes promovem uma grande manifestação neste sábado

Foto: ludovic Marin / AFP

Foto: ludovic Marin / AFP

Mundo

Uma cúpula do G7 marcada por tensões multilaterais começa neste sábado 24 na cidade de Biarritz, na França. Guerra comercial, ameaças de tarifas mútuas entre os Estados Unidos e a França, Brexit, acordo nuclear iraniano e até o desmatamento na Amazônia são os principais tópicos da reunião.

A questão climática acabou elevada a primeiro plano depois de o presidente francês, Emmanuel Macron, declarar que as queimadas se tornaram uma “crise internacional” e conclamar as demais potências a fazer do assunto “uma prioridade” da cúpula. O francês espera chegar a uma proposta financeira para reflorestar as áreas desmatadas o mais breve possível. A presidência francesa indica que “iniciativas concretas” para lutar contra as queimadas “podem se materializar” durante os dois dias de encontros.

O evento começa com um jantar oficial. Macron recebe os líderes dos Estados Unidos, Donald Trump, da Alemanha, Angela Merkel, do Reino Unido, Boris Johnson, da Itália, Giuseppe Conte, do Japão, Shinzo Abe, e do Canadá, Justin Trudeau.

Retaliações contra o vinho francês

Instantes antes de embarcar para a França, o presidente Donald Trump voltou a ameaçar elevar as barreiras alfandegárias contra os vinhos franceses. A medida seria uma reação à imposição de impostos específicos franceses sobre gigantes digitais como Google e Facebook, que são empresas americanas.

Apesar do clima hostil entre Washington e Paris, nesta manhã a diplomacia francesa indicou que Trump e Macron poderão dar uma coletiva de imprensa conjunta no fim do evento, na segunda-feira 26.

A cúpula também será a estreia internacional do premiê britânico, Boris Johson, com a espinhosa questão do Brexit a ser resolvida. Será o primeiro encontro entre Johnson e Trump, que prega um Brexit sem acordo com a União Europeia. A expectativa é de que o posicionamento do britânico sobre a questão fique mais claro depois desta reunião com o americano.

Manifestações pelo clima e contra desigualdades

Enquanto isso, do lado de fora do palácio onde acontece a reunião internacional, militantes promovem uma grande manifestação neste sábado. O protesto se concentra em Hendaye, a 30 quilômetros de Biarritz, e também vai tomar as principais cidades da região.

Os manifestantes vão às ruas a favor do clima e contra as desigualdades sociais, entre outros tópicos. Os protestos ocorrem desde o início da semana e, nesta sexta-feira, foram registrados os primeiros confrontos com a polícia. Dezessete pessoas foram detidas e quatro policiais ficaram levemente feridas, na cidade de Urrugne.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Rádio pública francesa que produz conteúdo em 18 línguas, inclusive português. Fundada em 1931, em Paris.

Post Tags
Compartilhar postagem