Mundo

Central de Zaporizhzhia esteve à beira de acidente nuclear por corte de abastecimento, diz Ucrânia

‘O novo corte externo de abastecimento reforça mais uma vez a precariedade da segurança nuclear’, alerta a AIEA

Vista da usina nuclear de Zaporizhia, na Ucrânia. Foto: Ed Jones/AFP
Apoie Siga-nos no

A central nuclear ucraniana de Zaporizhzhia, tomada pelos russos, esteve “à beira de um acidente nuclear” durante a noite por um corte temporário de abastecimento elétrico, indicou neste sábado 2 a operadora ucraniana Energoatom.

“Ontem à noite houve um apagão total na usina de Zaporizhzhia”, disse a Energoatom no Telegram.

“As forças de ocupação (russas) não se preocupam com a segurança da central nuclear”, acusou o presidente da empresa estatal, Petro Kotin. “Continuarão criando situações perigosas, chantageando o mundo inteiro” com o risco de “um acidente nuclear”, acrescentou.

Duas linhas de energia que alimentavam a usina “foram cortadas”, uma delas devido a “um ataque aéreo”, detalhou a operadora.

Mas tarde, o abastecimento foi restabelecido, embora o incidente tenha colocado em risco o bom funcionamento da usina, disse a Energoatom, tanto que esteve “à beira de um acidente nuclear e de radiação”.

Em comunicado, a Agência Internacional de Energia Atômica indicou que a central ficou “temporariamente privada de eletricidade durante a noite”, e que foi o oitavo corte de energia deste tipo desde o início da invasão russa, em fevereiro de 2022.

O corte em um das duas linhas de abastecimento parece relacionado a um incidente ocorrido “longe da usina”, disse a AIEA.

“O novo corte externo de abastecimento reforça mais uma vez a precariedade da segurança nuclear e da segurança da usina, que pode ser afetada por incidentes muito distantes da instalação”, afirmou o diretor da AIEA, Rafael Grossi, citado no comunicado.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.