Mundo

Bombardeios dos EUA matam 17 rebeldes huthis no Iêmen, diz imprensa oficial

Os Exército americano também bombardeou posições huthis perto do Irã na quarta-feira 7

Velório de huthis mortos em ataques dos Estados Unidos, em 10 de fevereiro de 2024. Foto: Mohammed Huwais/AFP
Apoie Siga-nos no

Os bombardeios americanos mataram 17 combatentes huthis do Iêmen na manhã deste sábado 10, informou a mídia oficial do grupo rebelde após o funeral dos falecidos em Sanaa, capital do país.

A mídia oficial divulgou a lista dos mortos, que descreveu como “mártires da nação e das forças armadas e de segurança”, cujos corpos foram “transportados em procissão solene em Sanaa” depois de terem sido mortos “em um bombardeio da agressão americano-britânica.”

Os Estados Unidos bombardearam, na quinta-feira, com quatro drones e sete mísseis de cruzeiro “prontos para serem lançados contra navios no Mar Vermelho” e pertencentes aos huthis, que controlam grandes partes do Iêmen, incluindo a capital.

Esses drones e mísseis foram “identificados em áreas do Iêmen controladas pelos huthis” e representavam “uma ameaça iminente” ao transporte marítimo, disse o Comando Militar dos Estados Unidos no Oriente Médio, o Centcom.

Os Exército americano também bombardeou posições huthis perto do Irã na quarta-feira.

Desde novembro, o grupo rebelde tem lançado ataques contra navios que navegam no Mar Vermelho e no Golfo de Áden, e que considera ligados a Israel, em “solidariedade” com os habitantes de Gaza.

Os ataques forçaram diversas companhias marítimas a evitar essa rota vital, através da qual passa cerca de 12% do comércio marítimo global.

Washington, aliado de Israel e que considera os huthis uma entidade “terrorista”, criou em dezembro uma coalizão internacional para “proteger” o tráfego marítimo na zona.

Até agora, porém, a coalizão não conseguiu impedir os ataques. Por isso, as forças americanas decidiram bombardear as posições huthis, com o Exército britânico.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo