Mundo

Austrália revela plano para reduzir número de imigrantes

No ano passado, aproximadamente meio milhão de imigrantes temporários entraram na Austrália

A ministra do Interior da Austrália, Clare O'Neil, foi responsável pelo anúncio do plano para conter a imigração no país. Foto: Reprodução/Redes Sociais
Apoie Siga-nos no

A Austrália revelou nesta segunda-feira (11) seus planos para reduzir o número de imigrantes que chegam ao país, com o objetivo de conter o fluxo pós-pandêmico e atuar frente ao descontento dos eleitores pelo custo do aumento de vida.

O governo trabalhista de centro-esquerda australiano anunciou uma série de medidas que dificultam a entrada de migrantes em geral, desde estudantes estrangeiros até trabalhadores pouco qualificados. As medidas incluem requisitos mais rígidos sobre o idioma inglês e limites salariais mais altos.

No ano passado, aproximadamente meio milhão de imigrantes temporários entraram na Austrália, no que se registrou como o auge da pós-pandemia após anos de fronteiras fechadas.

O governo acredita que suas reformas contenham o número em torno de 250.000 imigrantes no período 2024-2025. “Vamos garantir que os números voltem a ficar sob controle”, afirmou a ministra do Interior, Clare O’Neil.

Apesar das taxas de emprego quase recordes, os australianos estão cada vez mais frustrados com o aumento dos preços e um exuberante mercado imobiliário.

O’Neil enfatizou que a imigração é essencial para a prosperidade da Austrália e descreveu os trabalhadores estrangeiros como o “tempero especial” que fez a Austrália crescer.

Porém, prometeu “construir um sistema mais bem planejado em itens essenciais como moradia”.

Os preços dos aluguéis em algumas regiões de Sidney e Melbourne aumentaram em torno de 25% no último ano.

O líder conservador da oposição, Peter Dutton, criticou o governo por seu “grande programa de migração”.

“Nossa cidades estão cheias, as ruas congestionadas, a infraestrutura não acompanha”, disse no início deste mês e sugeriu que o número de imigrantes deveria ser reduzido.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.