Arthur Murta: Brasil pode perder seu papel central na América do Sul

O professor da PUC e especialista em América do Sul analisou a perspectiva para 2020 e as mudanças políticas ocorridas no Mercosul

Arthur Murta. Foto: Ravi Santana.

Arthur Murta. Foto: Ravi Santana.

Mundo

A América do Sul esteve em pauta durante todo o ano. Manifestações ocorreram em diversos países, eleições na maioria deles e mudanças políticas importantes aconteceram durante 2019. O professor de relações internacional da PUC-SP e especialista em América do Sul, Arthur Murta, acredita que no próximo ano teremos um período ainda complicado para o continente, principalmente para o Mercosul. E o Brasil, em um processo que já começou em 2019, pode ver seu papel de ator principal do continente ser reduzido (ainda mais).

“A Argentina, que é o segundo país mais importante do Mercosul, se coloca em outro local do aspecto político. Argentina terá que fazer política em um cenário com políticos de direita guiando o Mercosul”, analisa.

O professor bateu um papo com CartaCapital, dentro da série “2020 em 10 pontos”, e analisou todos os países da América do Sul para o novo ano.

Assista:

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem