Mundo

assine e leia

Água no champanhe

O retumbante fracasso na missão de defender a Ucrânia ofusca a comemoração dos 75 anos da Otan

Vexame. Os 32 países da Otan, sob a liderança do norueguês Jens Stoltenberg, não conseguiram deter o avanço russo – Imagem: Acervo/OTAN
Apoie Siga-nos no

A celebração do 75º aniversário da Organização do Tratado do Atlântico Norte, prevista para julho, em Washington, soará vazia em Kiev. A aliança militar ocidental falhou terrivelmente em seu maior teste desde a Guerra Fria: a batalha pela Ucrânia. É impossível negar o progresso das tropas de Vladimir Putin.

O avanço das forças russas em ­Kharkiv se aproveita da incrivelmente lenta distribuição de armamentos do Ocidente para Kiev e do medo crônico de seus líderes de que haja uma escalada. A Ucrânia recebe apenas o apoio suficiente para sobreviver, e nunca para prevalecer. Agora, até a mera sobrevivência está em dúvida.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo