Mundo

‘Acontece’, diz Netanyahu sobre bombardeio israelense que matou trabalhadores de ONG em Gaza

Segundo o primeiro-ministro de Israel, disparo de militares foi acidental, mas faria parte dos acontecimentos comuns em uma guerra; sete pessoas que distribuíam ajuda aos palestinos foram mortas no ataque do Exército comandado por Netanyahu

Benjamin Netanyahu Foto: Leo Correa / POOL / AFP
Apoie Siga-nos no

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, admitiu nesta terça-feira 2 que sete funcionários da ONG World Central Kitchen, do chef espanhol José Andrés, morreram em um bombardeio israelense “não intencional” em Gaza. Para ele, porém, a morte dos integrantes da ONG é um acontecimento natural de guerra.

“Infelizmente, ontem (segunda-feira), aconteceu um incidente trágico. Nossas forças atingiram de forma não intencional inocentes na Faixa de Gaza”, declarou no hospital em que passou por uma cirurgia de hérnia no domingo.

“Isto acontece em uma guerra (…) estamos em contato com os governos e faremos todo o possível para que não volte a acontecer”, acrescentou Netanyahu.

As sete vítimas trabalhavam para a ONG World Central Kitchen, com sede nos Estados Unidos, que entrega ajuda alimentar à Faixa, utilizando um corredor marítimo entre o Chipre e Gaza.

Carro usado pelos trabalhadores humanitários da World Central Kitchen em Gaza também foi atingido por Israel.
Foto: AFP

A organização anunciou depois do ataque que interrompeu suas operações no território palestino, que enfrenta uma guerra devastadora há quase seis meses.

As vítimas são procedentes da “Austrália, Polônia, Reino Unido, uma com dupla cidadania dos Estados Unidos e Canadá, e Palestina”, afirmou o WCK.

Um homem exibe os passaportes encontrados com os trabalhadores da World Central Kitchen mortos por um bombardeio de Israel na Faixa de Gaza.
Foto: AFP

O porta-voz do Exército israelense, o contra-almirante Daniel Hagari, afirmou que conversou com o famoso chef fundador do WCK, José Andrés, para expressar suas “mais profundas condolências”.

Ele acrescentou que a investigação será realizada pelo Mecanismo de Avaliação e Investigação do Exército israelense e que as descobertas serão compartilhadas “de forma transparente”.

O comandante do Estado-Maior de Israel, Herzi Halevi, “revisará pessoalmente os resultados da investigação inicial esta noite”, afirmou o porta-voz.

(Com informações de AFP)

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo