Justiça

Polícia investiga pastor norte-americano por LGBTfobia durante culto em Brasília

O religioso afirmou que homossexuais ‘têm uma reserva no inferno’

Apoie Siga-nos no

A Polícia Civil do Distrito Federal abriu uma investigação contra um pastor evangélico norte-americano para apurar a disseminação de ódio contra a população LGBTQIA+, crime equiparado ao de racismo.

As declarações foram feitas durante um congresso evangélico no domingo 19, em Brasília, que teve apoio institucional do governo do DF.

O pastor David Eldridge afirmou que a população LGBTQIA+ “tem uma reserva no inferno”.

A pregação foi gravada e transmitida ao vivo pelas redes sociais da União das Mocidades das Assembleias de Deus de Brasília. A instituição também é alvo da investigação pela divulgação do vídeo na internet.

“Todo homossexual tem uma reserva no inferno, toda lésbica tem uma reserva no inferno, todo transgênero tem uma reserva no inferno, todo bissexual tem uma reserva no inferno”, disse o pastor.

Além da investigação aberta pela Polícia Civil, o deputado distrital Fábio Félix (Psol) também deverá acionar o Ministério Público contra o religioso.

Desde junho de 2019, o Supremo Tribunal Federal reconheceu a homofobia como racismo, por conter caráter político-social.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo