Justiça

Justiça manda derrubar sigilos de reuniões de Jair Renan Bolsonaro, diz site

A decisão vai contra a negativa da Secretaria de Esportes e Lazer do DF de prestar informações sobre o conteúdo dos encontros com o filho do presidente

Jair Renan Bolsonaro, filho 04 do presidente. Foto: AFP
Apoie Siga-nos no

A segunda instância da Justiça do Distrito Federal determinou a retirada do sigilo imposto às reuniões entre a Secretaria de Esportes e Lazer do DF e Jair Renan, filho do presidente Jair Bolsonaro (PL). A informação é do portal UOL. 

A decisão vai contra a negativa da pasta de prestar qualquer informações sobre o conteúdo dos encontros com o filho 04 do ex-capitão. Os registros de entrada e saída do prédio também foram colocados sob sigilo.

A Justiça apura se Jair Renan atuou para favorecer interesses particulares da sua empresa, Bolsonaro Jr. Eventos e Mídia, também alvo de investigação da Polícia Federal. 

Um dos indícios levantados contra o filho do presidente é a compra da sede da empresa, no estádio Mané Garrincha, obtida junto à Secretaria de Esportes por um valor menor do que o de mercado. 

A hipótese alegada pelo servidor Marivaldo de Castro Pereira, autor da representação que deu início ao procedimento, é de que Jair Renan foi às reuniões na Secretaria acompanhado do assessor especial da Presidência Joel Novaes da Fonseca.

Em decisão na primeira instância, o juiz Daniel Branco Canacchioni determinou que a pasta deveria informar se “Jair Renan Bolsonaro participou de reuniões com autoridades públicas, os assuntos deliberados, se houve registro das reuniões e se foi celebrado algum pacto ou contrato com ele ou com pessoas jurídicas da qual seja sócio ou administrador”.

A Secretaria havia negado acesso às informações alegando que as mesmas “podem colocar em risco a segurança do Estado e a do próprio Presidente da República”. 

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo