Esporte

Inauguração de rua em homenagem ao ídolo brasileiro Sócrates reúne centenas na Vila Olímpica Paris 2024

‘Seria homenagear Sócrates ou Neymar. Lula ou Bolsonaro. A escolha parece óbvia’, diz o prefeito de Saint-Ouen, Karim Bouamrane

Foto: Reprodução/Redes Sociais
Apoie Siga-nos no

Sócrates, um dos maiores jogadores de futebol do Brasil, ídolo da seleção e do Corinthians, foi homenageado, neste sábado 30, na Vila Olímpica dos Jogos de Paris 2024, em Saint-Ouen, região metropolitana e sede do Time Brasil durante o evento. A Rue du Dr Sócrates tem 900 metros de extensão e posteriormente fará parte de um bairro que se estabelecerá no local.

O prefeito do município, Karim Bouamrane, celebrou a ideologia e os talentos em campo de Sócrates, falecido em 2011, quem considera seu ídolo de infância. E sinalizou um claro apoio político a esquerda brasileira e a Lula.

“Seria homenagear Sócrates ou Neymar. Lula ou Bolsonaro. A escolha parece óbvia”, disse. “Viva a democracia e os valores do amor que Sócrates pregava”, bradou em outro momento o político francês de 51 anos.

Bouamrane cortou a faixa da inauguração ao lado da ministra francesa dos Esportes, Amélie Oudéa-Castéra, e do ex-jogador de futebol Raí, irmão de Sócrates, que compareceu com a família e os filhos.

“É uma emoção muito grande, muito forte. Eu digo, não é à toa que essa homenagem é em Saint-Ouen, que é na França, é o país que representa a igualdade, solidariedade, fraternidade (…) É uma homenagem não menos do que o Sócrates merece, não menos que seus valores que sua luta merecem. Ces’t l’amour revolutionaire, é o amor revolucionário. Que veio para inspirar e revolucionar a cidade dos Jogos Olímpicos”, celebrou Raí ao lado da ministra e do prefeito do município, a quem se refere como um amigo.

A comitiva do Comitê Olímpico do Brasil (COB), que está na França para os últimos ajustes nas instalações do Time Brasil para os Jogos Olímpicos de Paris, esteve na inauguração da via. O presidente do COB, Paulo Wanderley, abriu a cerimônia agradecendo pela parceria com a prefeitura da cidade.

Relações Brasil-França

O presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Marcelo Freixo, lembrou o papel de um esportista brasileiro no mundo. “O esporte não começa e não termina numa competição ou em um jogo, o papel do esporte é muito maior numa sociedade como a brasileira e o Sócrates sempre teve essa dimensão e essa representação. Ele falou da democracia, ele sabia do seu papel social e lutou sua vida inteira por um Brasil mais justo”, declarou em meio aos agradecimentos.

Freixo recordou que 2025 é o ano do Brasil na França e adicionou que a França é um dos países que mais enviam turistas de toda a Europa para o Brasil.

O presidente da Embratur lembrou, bem-humorado, fotos dos momentos recentes do presidente francês, Emmanuel Macron, que esteve no Brasil em sua primeira visita oficial Neste mês ao País, na companhia do presidente Lula, que viraram memes nas redes sociais.

“As fotos do Macron com o Lula fizeram sucesso e agora essa homenagem ao Sócrates, é um momento muito importantes das relações entre os dois países”, concluiu Freixo.

A festa de inauguração

Na parte da tarde, o evento teve ainda a inauguração de uma arte especial feita pela artista brasileira Rafa Mon. Uma tela com o rosto de Sócrates colorido, de cerca de 500m², ficará afixada em um edifício de Saint-Ouen virado para a divisa com Paris.

Representantes do Movimento dos Sem Terra (MST) estiveram no local com uma grande bandeira e camisetas do Sócrates.

Em seguida, um cortejo de carnaval com dezenas de músicos e dançarinos saiu pelas ruas de Saint-Ouen, como parte da programação festiva do dia divulgada pela prefeitura local.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo