Sem participação do MEC, secretarias definem como será a voltas às aulas

A data ainda não foi definida, mas um novo modelo de escola deve ser criado para receber novamente os alunos

Foto: Agência Brasil.

Foto: Agência Brasil.

Educação

A volta às aulas no Brasil ainda não foi definida, mas o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) já definiu como o retorno se dará. Os secretários estaduais elaboraram a cartilha nacional, divulgada nesta terça-feira 16, para que os Estados façam adaptações às realidades locais, principalmente em relação às ações sanitárias.

“A discussão no Conselho não foi quando voltar, mas como voltar”, afirmou a presidente do conselho, Cecília Motta. Embora seja orientado principalmente para escolas públicas, a cartilha do Consed também influencia as particulares. O documento, produzido sem a participação do Ministério da Educação (MEC), serve para a criação de protocolos de retorno às aulas presenciais.

Veja abaixo as principais mudanças:

  • A máscara, assim como em outros estabelecimentos, será obrigatória para os alunos e professores.
  • As escolas vão ter menos alunos por sala e só atividades individuais, nada de trabalhos em grupo.
  • Haverá rodízio entre estudantes em sala e em casa, com continuidade das atividades online.
  •  No intervalo, refeitórios terão lugares marcados para que estudantes mantenham a distância entre si. Cada um deverá ter a própria garrafinha de água.
  • Haverá sinalização de rotas dentro das escolas para que os alunos mantenham distância entre si.
  • Higienização dos sanitários
  • Controle de temperatura de estudantes a servidores e estações de higienização.
  • As escolas devem apresentar alternativas para o cumprimento da carga horária mínima anual com ampliação da jornada diária e reposição de aulas aos sábados ou à noite.
  • Há possibilidade de prorrogação do calendário para o período de recesso ou para o ano seguinte.

O texto foi elaborado a partir da experiência de outros países que já retornaram às aulas e tomou por base, ainda, propostas de protocolos criadas por estados que já se adiantaram nesse quesito. Fundado em em 1986, o Conselho Nacional de Secretários de Educação é uma associação de direito privado, sem fins lucrativos, que reúne as Secretarias de Educação dos Estados e do Distrito Federal.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem