CartaExpressa

Vice-presidente do TCU diz que privatização da Eletrobras foi ‘malfeita’

Falas de Vital foram durante o Fórum BNDES de Direito e Desenvolvimento

Edifício sede da Eletrobras no centro do Rio de Janeiro. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

Vital do Rêgo, vice-presidente do Tribunal de Contas da União (TCU) criticou nesta segunda-feira 30 a privatização da Eletrobras, desestatizada em junho de 2022, durante o governo Bolsonaro. Segundo Vital, o processo foi “malfeito”.

Apesar disso, o vice-presidente do órgão afirmou que não questiona a desestatização. “O que me interessa é dizer se ela [desestatização] foi malfeita ou foi bem-feita”, disse.

“E lá ela foi muito malfeita. Provei isso e agora os reflexos já estão judicializados pela AGU no Supremo Tribunal Federal”, completou Vital durante o Fórum BNDES de Direito e Desenvolvimento.

A ação da Advocacia Geral da União lembrada por Vital busca no STF a suspensão de dispositivos da Lei 14.182/2021, que autorizou a privatização da Eletrobras.

No documento enviado ao Supremo em junho deste ano, o órgão diz que um grupo minoritário, que detém 0,05% das ações da Eletrobras, indicou três representantes para o Conselho de Administração, enquanto

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo