Economia

Quem é Magda Chambriard, a nova presidente da Petrobras

Engenheira já atuou como diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP)

Magda Chambriard. Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

A Petrobras confirmou na noite desta terça-feira 14 que Magda Chambriard vai substituir Jean Paul Prates no comando da estatal.

Prates deixou a petroleira após uma série de desgastes entre o líder da estatal e ministros do governo, em especial com o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, e com Rui Costa, da Casa Civil.

Magda Maria de Regina Chambriard, de 67 anos, é engenharia civil pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Ela iniciou sua carreira na Petrobras, em 1980, atuando sempre na área de produção.

Em 1980, concluiu a pós-graduação em engenharia de reservatórios e avaliação de formações e, em 1983, em engenharia de reservatórios e produção, ambas pela Universidade Corporativa da Petrobras.

Chambriard foi diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) de 2012 a 2016, durante o governo de Dilma Rousseff (PT).

A engenheira liderou a criação da Superintendência de Segurança e Meio Ambiente, Superintendência de Tecnologia da Informação, os trabalhos relativos aos estudos e elaboração dos contratos e editais, além dos estudos técnicos que culminaram na primeira licitação do pré-sal.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo