PIB cresce 7,7% no terceiro trimestre, mas cai quase 4 pontos em relação a 2019

Maior reabertura das atividades em meio à pandemia e o impulso dado pelo auxílio emergencial colaboraram

Fonte: Fernando Frazão/EBC

Fonte: Fernando Frazão/EBC

Economia

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quinta-feira 3 que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 7,7% no terceiro trimestre de 2020. A comparação é feita com o segundo trimestre do mesmo ano, quando as restrições por conta da pandemia de coronavírus eram mais rígidas. Em relação ao mesmo período do ano passado, a queda é de 3,9%.

 

 

No terceiro trimestre, ajudaram a impulsionar a atividade econômica a indústria, que cresceu 14,8%, e os serviços, que subiram em 6,3%. Entre as atividades, destaca-se o crescimento de 23,7% das indústrias de transformação e do comércio, com alta de 15,9%.

Apesar da agropecuária ter sofrido retração de 0,5% na comparação entre os trimestres, essa foi a única atividade que apresentou ganho real em comparação a 2019, crescendo 0,4%.

“Crescemos sobre uma base muito baixa, quando estávamos no auge da pandemia, o segundo trimestre. Houve uma recuperação no terceiro, contra o segundo trimestre, mas se olharmos a taxa interanual, a queda é de 3,9% e no acumulado do ano ainda estamos caindo, tanto a indústria quanto os serviços. A agropecuária é a única que está crescendo no ano, muito puxada pela soja, que é a nossa maior lavoura”, destaca a coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis.

 

*Com informações da Agência IBGE

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem