Economia

Bolsonaro diz ter vontade de privatizar a Petrobras

Presidente afirma que irá consultar equipe econômica sobre possibilidade de vender a estatal

O presidente Jair Bolsonaro no lançamento do programa Habite Seguro. Foto: Alan Santos/PR
O presidente Jair Bolsonaro no lançamento do programa Habite Seguro. Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quinta-feira 14, em entrevista para uma rádio evangélica, ter vontade de privatizar a Petrobras.  O ex-capitão usou o aumento do preço dos combustíveis que recai sobre ele para justificar a declaração.

“Eu tenho vontade, já tenho vontade de privatizar a Petrobras. Vou ver com a equipe econômica o que a gente pode fazer, porque o que acontece: eu não posso, não é controlar, eu não posso melhor direcionar o preço do combustível, mas quando aumenta a culpa é minha”, disse Bolsonaro em entrevista à rádio Novas de Paz, de Recife. 

Enquanto deputado federal, Bolsonaro defendia que a Petrobras precisava ficar sob responsabilidade do governo pela posição estratégica da estatal para o setor energético. No entanto, na presidência, ela passou a admitir a possibilidade de privatização da empresa. 

Na quarta-feira 13, o ministro da Economia, Paulo Guedes, reiterou ser favorável à privatização da empresa, ou diluir a participação da União na empresa estatal. 

Ainda na entrevista, o presidente reclamou por ser responsabilizado pelo aumento do preço do botijão de gás e lembrou que zerou o importo federal que incide sobre o produto e voltou a atacar governadores.

“Aumenta o gás de cozinha a culpa é minha, apesar de ter zerado imposto federal, coisa que não acontece aí por parte de muitos governadores”, continuou.

 

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!