Bolsonaro descarta acabar com Bolsa Família para criar Renda Brasil

'Eu já disse, há poucas semanas, que eu jamais vou tirar dinheiro dos pobres para dar para os paupérrimos', declarou

Foto: Sergio LIMA / AFP

Foto: Sergio LIMA / AFP

Economia

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta terça-feira 15, que o governo não pretende congelar aposentadorias, nem cortar auxílios para idosos e pessoas com deficiência para financiar o Renda Brasil.

 

“Até 2022, no meu governo, está proibido falar a palavra Renda Brasil. Vamos continuar com o Bolsa Família e ponto final”, afirmou Bolsonaro, em vídeo postado nas redes sociais.

A declaração ocorre após a imprensa noticiar que, para criar o programa, que poderia substituir o Bolsa Família, setores do governo defendiam cortes em áreas sociais.

 

“Eu já disse, há poucas semanas, que eu jamais vou tirar dinheiro dos pobres para dar para os paupérrimos. Quem porventura vier propor para mim uma medida como essa, eu só posso dar um cartão vermelho. É gente que não tem o mínimo de coração, o mínimo de entendimento de como vivem os aposentados do Brasil”, disse o presidente.

 

Guedes 

 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, adiou nesta manhã a participação em um evento para se encontrar com o presidente no Palácio do Planalto, de acordo com a Reuters.

Guedes falaria no Painel Telebrasil 2020 às 9h. Depois o compromisso passou para 9h30 e, enfim, foi adiado para 12h, com a assessoria do evento atribuindo o ajuste a “mudanças na agenda do ministro”.

 

 

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem