Economia

Arrecadação do governo chega a recorde de R$ 186 bilhões em fevereiro; alta é de 12%

Receita Federal aponta que aumento é explicado por contribuições previdenciárias e nova tributação dos fundos exclusivos

Fernando Haddad, chefe da Economia brasileira no governo Lula III. Foto: Ricardo Stuckert / PR
Apoie Siga-nos no

A arrecadação do governo federal subiu 12,3% em fevereiro, na comparação com o mês anterior. No total, foram 186,5 bilhões de reais arrecadados, segundo dados divulgados nesta quinta-feira 21 pela Receita Federal.

O montante do mês passado é o melhor resultado para o mês em toda a série histórica da Receita, que começou em 1995. 

Segundo o órgão, as contribuições previdenciárias e a taxação de combustíveis impulsionaram a alta. O primeiro fator pode ser explicado pelo aumento da massa salarial, que, segundo a receita, cresceu 11,27% em um ano.

A arrecadação também foi estimulada pela nova tributação dos fundos exclusivos. Segundo a Receita, essa nova arrecadação já rendeu 8,1 bilhões de reais em janeiro e fevereiro deste ano. Caso siga o ritmo, o valor anual deve superar a expectativa feita pelo mercado, que prevê cerca de 13 milhões de reais no ano.

Fundos exclusivos são utilizados por investidores de alta renda. Depois que o Congresso aprovou a taxação sobre tais ganhos, ficou aberta a possibilidade de que pagamentos antecipados da tributação fossem feitos com descontos. 

De acordo com os dados divulgados hoje, a arrecadação total de janeiro e fevereiro acumula uma alta – ajustada pela inflação – de 8,82%, na comparação com o mesmo período do ano passado. São 467,1 bilhões de reais arrecadados.

O total arrecadado pode ser dividido em duas categorias: aquilo que é administrado pela Receita (e envolve impostos de competência da União) e os recursos administrados por outros órgãos.

No primeiro caso, a alta real foi de 11,95% em fevereiro, na comparação com fevereiro de 2023, e alcançou 179 bilhões de reais. No segundo caso, a alta foi de 20,41% na comparação entre os períodos, alcançando 7,5 bilhões de reais.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo