Erika Hilton: “Precisamos garantir que negros ocupem altos cargos”

A codeputada estadual de São Paulo analisa as perspectivas no campo da diversidade para 2020

Vereadora Erika Hilton. Foto: Ravi Santana.

Vereadora Erika Hilton. Foto: Ravi Santana.

Diversidade

2019 foi um ano preocupante (no mínimo) para a questão da diversidade. Diversos ataques ocorreram com os grupos considerados minorias pelo Estado com fim de políticas públicas, censuras e outras várias coisas. Mas também foi um ano de muita luta e resistência. Uma personagem foi a deputada estadual de São Paulo, Erika Hilton.

A integrante da Bancada Ativista da Alesp é mulher, negra, trans e conseguiu chegar a um espaço costumeiramente negado a pessoas como ela: a política. Em entrevista a CartaCapital, pra a série em vídeo “2020 em 10 pontos”, a parlamentar comenta as perspectivas da diversidade em 2020 no Brasil. “A universidade não se preocupa com nosso histórico racista. Precisamos garantir a ocupação do negro após a faculdade”, afirma a deputada.

Cotas, trans no esporte, projetos para a população trans, violência contra as mulheres e cenário político foram alguns dos temas tratados com a deputada.

Assista ao vídeo:

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem