CartaExpressa

Zema diz que governo Bolsonaro já poderia ter iniciado vacinação

Zema diz que governo Bolsonaro já poderia ter iniciado vacinação

Para ele, gestão federal errou na preparação da campanha de imunização

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu com o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, para sobrevoar áreas atingidas por chuvas. Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu com o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, para sobrevoar áreas atingidas por chuvas. Foto: Alan Santos/PR

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), afirmou que a vacinação contra a Covid-19 no Brasil já poderia ter começado. Para ele, o governo do presidente Jair Bolsonaro errou na preparação da campanha de imunização.

“Vejo que esse processo da Anvisa acaba contribuindo para que se atrase um pouco, apesar que os estudos tanto da Coronavac quanto da AstraZeneca foram concluídos recentemente. Mas sempre dá para melhorar esse processo burocrático. E o governo federal poderia ter estudado outras alternativas de vacina. Quanto mais fornecedores você tem, melhor. Se um atrasa, se um tem algum problema, você recorre a outros. Nesse ponto, me parece que a condução poderia ter considerado mais alternativas e não ter ficado dependente de poucos fornecedores”, afirmou em entrevista ao Valor.

Na conversa, Zema defendeu a continuidade do auxílio emergencial.

“Importante lembrar que pandemia ainda não acabou. Estamos talvez num momento mais crítico do que em agosto. Qualquer tipo de auxílio neste momento seria muito adequado. O mercado de trabalho vai demorar um pouco a reagir”, avaliou.

O governador, no entanto, disse que não é possível afirmar que o Brasil teria menos mortes e casos da doença caso Bolsonaro não tivesse adotado desde o início uma postura negacionista em relação à pandemia.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem