CartaExpressa,Política

Simone Tebet: ‘Nero continuará a tocar Lira depois de botar fogo em Roma’

Simone Tebet: ‘Nero continuará a tocar Lira depois de botar fogo em Roma’

Simone Tebet, Jair Bolsonaro e Arthur Lira. Fotos: Jefferson Rudy/Agência Senado e Alan Santos/PR

Simone Tebet, Jair Bolsonaro e Arthur Lira. Fotos: Jefferson Rudy/Agência Senado e Alan Santos/PR

A senadora Simone Tebet (MDB-MS), líder da bancada feminina na Casa Alta, criticou o discurso proferido nesta quarta-feira 8 pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), em resposta às ameaças golpistas de Jair Bolsonaro. No pronunciamento, Lira afirmou que é hora de “dar um basta” às “bravatas e a um eterno palanque”, mas ignorou os mais de 100 pedidos de impeachment do presidente da República.

“Nero continuou tocando Lira depois de botar fogo em Roma. ‘Nero’ continuará tocando ‘LIRA’, depois de botar fogo em ‘Roma’. Quo Vadis? Até quando?”, escreveu Tebet nas redes sociais.

Pouco depois, também nas redes, a senadora elogiou o pronunciamento do presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux. O magistrado afirmou que a Corte “jamais aceitará ameaças à sua independência, nem intimidações ao exercício regular de suas funções”. Também declarou que “ninguém fechará” o tribunal.

“FUX: ninguém fechará esta Corte. Falou direto ao Presidente. Houve crime de responsabilidade. Recado claro para o Congresso Nacional. Desafinou a ‘Lira’ do ‘Nero'”, completou Tebet.

Mais cedo, antes dos discursos de Lira e Fux, a senadora já havia afirmado que “mais que voz institucional, o momento exige ação dos Poderes Judiciário e Legislativo”.

“Porque as palavras do Presidente têm feição de atos. E atos INCONSTITUCIONAIS. Ele não as diz por coragem, mas por medo. Nós temos de mostrar CORAGEM não só para falar, mas para AGIR”, escreveu.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem