CartaExpressa

Servidores do Banco Central rejeitam proposta para ampliar autonomia

De 4.505 votantes, 74% se manifestaram contra a PEC. Sindicato critica falta de participação no processo

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

Servidores do Banco Central votaram nesta terça-feira 2 contra a proposta de autonomia financeira e administrativa da instituição, em tramitação no Senado.

De 4.505 votantes, 74% se manifestaram contra a PEC. Segundo Fábio Faiad, presidente do Sindicato Nacional dos Funcionários do BC, os servidores não puderam participar da elaboração da proposta, o que contribuiu para uma insatisfação interna.

Roberto Campos Neto disse, no início de 2023, que proporcionaria diálogo total com a categoria. Contudo, a PEC 65 foi elaborada na surdina, sem debates com os servidores do BC”, criticou Faiad.

Ele disse esperar que a direção do banco e o relator da PEC, o senador Plínio Valério (PSDB-AM), apresentem um novo projeto, capaz de garantir a proteção das atribuições do BC e seus servidores ativos, aposentados e pensionistas. “Caso contrário, o SINAL atuará incessantemente para o arquivamento da PEC 65 no Congresso Nacional”, completou o presidente.

O Banco Central já tem autonomia operacional, concedida pela Lei Complementar nº 179, de 24 de fevereiro de 2021. Agora, a PEC diz buscar “a garantia de recursos para que atividades relevantes para a sociedade sejam executadas sem constrangimentos financeiros, tanto para a instituição quanto para o Tesouro Nacional”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar