CartaExpressa,Política

‘Se entrassem na minha casa, poderia não acabar bem’, diz Flávio Bolsonaro sobre ato do MTST

‘Se entrassem na minha casa, poderia não acabar bem’, diz Flávio Bolsonaro sobre ato do MTST

Fotos: Reprodução/Redes Sociais e Beto Barata/Agência Senado

Fotos: Reprodução/Redes Sociais e Beto Barata/Agência Senado

O senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) usou as redes sociais para atacar uma manifestação realizada pelo MTST em frente à sua mansão em Brasília, nesta quinta-feira 30. O protesto, como informou o líder do movimento, Guilherme Boulos, teve razões econômicas. “Enquanto o povo está na fila do osso, a família Bolsonaro esbanja luxo com dinheiro duvidoso”, escreveu no Twitter.

Flávio alegou que os manifestantes se basearam em “fake news, com o conluio de algumas grandes emissoras que instantaneamente já sabiam do ato e foram para lá”.

Segundo o MTST, a ação faz parte da jornada contra a fome e a inflação, batizada de “Tá tudo caro, a culpa é do Bolsonaro!”. A campanha se iniciou na semana passada, com a ocupação da Bolsa de Valores, em São Paulo.

“Mentiram. Muitos deles só tiveram o que comer na pandemia por causa do trabalho e do auxílio emergencial dado pelo presidente Jair Bolsonaro às pessoas mais necessitadas”, disse o ‘Zero Um’ ao criticar o protesto. “Felizmente ninguém entrou na minha casa, senão a história poderia ser diferente, poderia não acabar bem. Mas este vídeo aqui serve de alerta para que todos tenham a real necessidade dos problemas que o Brasil começa a enfrentar”.

O filho de Jair Bolsonaro ainda tentou argumentar que sua família seria ‘vítima’ de notícias falsas.

“Não é fácil combater quem se mobiliza para desinformar a população. Como nós não mentimos, não fazemos fake news, somos vítimas dela, essa vai ser uma dificuldade que vamos enfrentar até lá [as eleições de 2022]”.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem