CartaExpressa

Rombo na previdência dos militares sobe 3% em 2023 e se aproxima de R$ 50 bilhões

Entre janeiro e dezembro de 2022, o déficit havia sido de 47,8 bilhões

Foto: Alexandre Manfrim/Ministério da Defesa
Apoie Siga-nos no

O Ministério da Fazenda informou nesta terça-feira 30 que o Sistema de Proteção Social dos Militares das Forças Armadas registrou em 2023 um déficit de 49,7 bilhões de reais.

Trata-se de um aumento de 3,6% em relação ao acumulado de janeiro a dezembro de 2022, quando o rombo foi de 47,8 bilhões.

Segundo a legislação, esse sistema é o conjunto de direitos, serviços e ações de remuneração, pensão, saúde e assistência para os militares ativos e inativos, além de seus dependentes.

Em 2023, o Regime Geral de Previdência Social apresentou um déficit de 315,7 bilhões, um crescimento de 16,8% frente ao ano anterior (270,2 bilhões).

Já o Regime Próprio de Previdência dos Servidores Públicos teve um rombo de 54,8 bilhões de reais, 8,3% maior que o déficit de 2022 (50,6 bilhões).

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.